Parceiros

Estudos para Célula

16/01/2016 às 00:00:00

Uma Família Firmada na Rocha - Parte Final

PIBEG – Primeira Igreja Batista do Eduardo Gomes

Av Ayrton Senna, 725 – Conj Hab Brig Eduardo Gomes

Rosa Elze – São Cristóvão – Se – 49.100-000

Apóstolos Paulo e Josiani Fonseca

 

Uma Comunidade Impactada Pelo Amor

 

2016 - REFORMA a Visão de Deus para Curar as Geografias

 

Estudo de Célula 05/2016 – 01 a 06/02/2016

Uma Família Firmada na Rocha - Parte Final

 

Uma Família Firmada na Rocha - Parte Final

 

Temos estudado, nestas semanas, sobre a importância de construir a casa sobre a Rocha, pois só assim ela será uma casa estável. Você compreendeu a importância de conquistar a sua própria casa, colocando em prática o princípio que você tem ouvido, pois o homem que ouve e pratica é chamado por Deus de homem sábio, prudente.

Neste último estudo, aprenderemos a suportar a chuva e os ventos no relacionamento. Se sua casa, verdadeiramente, estiver construída sobre a Rocha, a chuva forte não destruirá o seu casamento, mas fortalecerá o caráter do matrimônio.

 

Suportando a Chuva e os Ventos no Relacionamento

 

Na aplicação espiritual, podemos ver que não existe nenhum casamento que fique isento de uma chuva forte. Não estou profetizando desgraça, estou dizendo que se você estiver estrategicamente situado, você não sofrerá prejuízos, mesmo que a chuva venha.

Se eu estiver no córrego, serei destruído; mas, se eu estiver posicionado estrategicamente, essa chuva servirá para alimentar a minha casa e trazer saúde para toda a minha família.

Quando os problemas vierem, se o casal estiver na Rocha, terá plena segurança. Quando a chuva começar a cair, devo me perguntar: Onde estou no casamento? Onde me posicionei? Onde fiz a minha habitação? Onde fiz meu tabernáculo? Onde fiz o meu templo? Se estivermos na Rocha, Jesus diz que nada acontecerá à nossa família, à nossa casa.

Devemos lembrar, porém, que se a chuva de deserto chegar, e você não estiver posicionado, nada ficará de pé, ela destruirá tudo. A casa não pode ser feita na rota dos córregos, deve ser feita nos lugares altos. Quando falamos de rocha, devemos perceber também que a segurança depende do lugar onde está a rocha.

Se sua casa for construída embaixo, você estará sujeito a tudo o que vem de cima. A questão de estar na rocha é importante, mas não é fundamental. O fundamental é estar na Rocha correta. Seu casamento pode estar sólido, sendo fortalecido nesses dias, mas se você não transportar a sua casa do córrego para o lugar alto, tudo o que melhorar neste tempo poderá se tornar nada.

Deus quer nos ensinar mudanças. Mesmo que sua casa esteja construída na rocha, veja se há riscos geográficos. A inteligência da família precisa entrar em operação. A família tem inteligência, porque tem uma alma da aliança.

Devemos buscar de Deus o conceito da alma da família para que a família não entre em destruição. Precisamos perceber que a sabedoria de Deus nos ensina a não construirmos em qualquer rocha. A Bíblia diz que aquele homem construiu na Rocha e não em uma rocha qualquer.

A Rocha do casamento não é o marido, não é a esposa, nem os filhos. Se o casamento é espiritual, precisa ter uma base. A Rocha do casamento tem um nome: Jesus. Ele é a Rocha Eterna.

Continuando o ensinamento, Jesus diz que os rios trasbordaram. Quando os rios transbordam, eles inundam o que está nos seus limites, nas margens do leito. Jesus ainda fala que os ventos sopraram. Não há construção que fique segura quando os ventos do deserto batem. Tire a sua casa da rota do vento. Quando Jesus falou sobre o vento, todos sabiam que Ele Se referia a um vento impetuoso.

O vento não avisa nem pede licença para soprar; ele leva tudo. Tire a sua casa da rota do vento e coloque-a sobre a Rocha para que o vento, quando vier, não leve a sua casa. Minha família só será atingida se ela estiver no deserto, pois é no deserto que vem o vento impetuoso. Só Deus pode livrar alguém de uma tempestade do deserto.

A responsabilidade de tirar a família da rota do vento é sua. Assim também é sua responsabilidade tirar sua família do córrego de risco e livrá-la da chuva que cai. A casa que está na Rocha não cairá quando a chuva vier, as águas subirem e os ventos soprarem. Nosso casamento não pode viver em situações de risco. Vejamos algumas delas:

 

01. Discussão

Um dos riscos no matrimônio é conservar a discussão e achar que é normal. Há casais que gostam de brigar por tudo, de discutir, e acreditam ser algo natural dentro do matrimônio. Esses estão na beira do rio, e, quando a tempestade chegar, se afogarão. Isso parece simples e sem importância, mas a comunicação nociva é uma base do diabo para afogar o seu casamento.

 

02 - Comportamento de Solteiro

Outro risco é alimentar no coração um comportamento de solteiro sendo casado. Na hora da discussão, fica dizendo que vai embora. Devemos parar de meninices. Está na hora de tirar a chupeta e a fralda. Aja como um homem e uma mulher casados.

Assuma o seu casamento. Devolva a imagem da sua mãe, do seu pai e, se possível, sepulte isso. O comportamento de solteiro no casamento leva o cônjuge a dormir na sala, a bater a porta do quarto com os filhos vendo, a dizer que vai sair de casa. Esses comportamentos não combinam com pessoas adultas que desejam mudar o padrão da Nação.

Os outros riscos você mesmo descobrirá no seu comportamento. Deus lhe mostrará, pois cada um tem a sua própria área de risco. Tire sua família das margens de risco. Satanás está tramando para destruir seu casamento e quando ele mexe em você, mexe em toda uma Nação. Então, vigie! Pessoas dependem de você e esperam que você seja de fato um modelo.

Quando Jesus fala sobre transbordar os rios, Ele fala de destruição e perda total dos bens. Quando entramos nesses níveis de risco no casamento, podemos até salvar a família, mas patrimônios vão embora ou deixam de ser acrescentados.

Quando passamos o tempo todo concentrados nas enfermidades da família ou de um casamento e não curamos isso, perdemos a bênção de ganhar bênçãos. Quando saramos essas enfermidades, as coisas ficam mais fáceis, o casal consegue conquistar mais rápido.

Quando a Bíblia fala de transbordar os rios, soprar os ventos, perder os bens, indica uma catástrofe. Hoje, somos mediadores, ajudadores, que lutam contra as catástrofes, tentando evitá-las tanto para nós quanto para aqueles que estão debaixo da nossa cobertura.

Se a nossa família estiver na Rocha, ainda que tudo se perca, há possibilidade de reconstrução. Chegou o tempo de colecionarmos vitórias, porque é o tempo de colocarmos nossa casa na Rocha.

Quem coloca a casa na Rocha é um homem sábio. Quando não colocamos nossa casa na Rocha, somos considerados imprudentes, insensatos. Ninguém que é sábio ousa construir a casa na areia, no lugar arriscado. No deserto, há um tipo de areia movediça. Se sua casa estiver no deserto, baseada na areia, ela pode ser tragada.

Onde estamos agora nesse contexto? O que podemos melhorar no nosso contexto familiar? Qual a sugestão para voltarmos aos princípios? Deus tem nos proporcionado muito ensino e você precisa entender que ninguém poderá melhorar o seu casamento. O Pastor pode ajudar e orientar, mas a decisão é sua. Os discipuladores podem ser orientadores, mas quem vai decidir é o casal.

Jesus quer tirar a sua casa da rota de risco e colocá-la na Rocha que é Ele mesmo. Nossa chamada é para que a nossa família esteja estabelecida na Rocha. Precisamos arrepender-nos de não termos vigiado e de termos colocado nossa família na margem de risco. Vamos pedir perdão a Deus e clamar a Ele para que tome nossa família e coloque-a na Rocha.

 

Transcrito: http://www.mir12.com.br/br/2016/estudos/celulas

Deixe seu Comentário

Ainda não há comentários, seja o primeiro a comentar.

Seu Nome:

Seu E-mail:  (Não será divulgado)

Comentários:
   Página de 11     ( Total de Registros: 105 )

PIBEG - Primeira Igreja Batista do Eduardo Gomes

Av. Ayrton Senna, N° 725 - Conjunto Hab. Brig. Eduardo Gomes

CEP.: 49.100-000 - Fone: (79) 3257- 8780 / 3044-4347 

São Cristóvâo - Sergipe